Porto de Xangai lança um novo hub para o depósito de contêineres vazios


Fonte: Revista Cargo (13 de setembro de 2021 )

O Porto de Xangai, uma das maiores infraestruturas portuárias do mundo, lançou um novo Empty Container Depot Hub, que fornecerá um auxílio vital na batalha contra o fenómeno da extrema escassez de contêineres que tem afetado o comércio mundial desde o surgimento do COVID-19.

O novo hub de contêineres vazios do Porto de Xangai encontra-se localizado na Zona Consolidada Especial de Yangshan, criada por grandes transportadoras marítimas de mercadorias em cooperação com o Shanghai International Port Group (SIPG), que opera no porto chinês.

Este incremento infraestrutura não apenas promoverá e complementará a função de serviço de transporte marítimo do porto chinês, mas também ajudará a consolidar a posição de liderança mundial do mesmo no que diz respeito à movimentação de contentores, otimizando ainda mais a distribuição de contentores vazios na região do Nordeste da Ásia, assim como melhorar a utilização e rotação de contentores.

A escassez de contentores disponíveis, que ganhou corpo na sequência das assimetrias logísticas causadas pela pandemia e suas medidas restritivas, aliada ao crescimento da procura no mercado dos Estados Unidos da América (EUA), criou sérias dificuldades na cadeia de abastecimento global, tanto em 2020 como em 2021, com os contêineres a tornarem-se, repentinamente, em um bem precioso e cada vez mais dispendioso.

Tal como a Revista Cargo tem vindo a noticiar, a taxa do frete de contêineres tem disparado no último ano, mantendo-se elevada e causando vários problemas a empresas, carregadores, transitários e, claro, consumidores finais. As transportadoras marítimas têm registado lucros históricos em 2021, ao passo que várias empresas se vêm queixando dos preços elevados e da dificuldade em exportar/importar.

Algumas das principais operações do depósito de contêineres vazios do Porto de Xangai serão a manutenção e reparo, a declaração alfandegária para contêineres vazios viáveis com o apoio da Alfândega de Yangshan, para responder aos requisitos alfandegários das companhias marítimas.

CNT
Fonasba
Cianam