Brasil vai usar blockchain no comércio exterior


Fonte: ABTTC  em 25/11/2020 -
A tecnologia poderá ser utilizada como forma de assinatura eletrônica por parte da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil do Ministério da Economia.
Sobre o decreto
O Decreto nº 10.550/2020 altera o Decreto nº 6.759/2009, que regulamenta a administração das atividades aduaneiras. Ao mesmo tempo, indica diretrizes para fiscalização, controle e tributação das operações de comércio exterior.
Nesse sentido, a alteração que considera blockchain como forma de autenticar documentos foi feita no Art. 562.
Destaca-se que o Decreto anterior apenas mencionava o uso de “formas alternativas de assinatura”.
Agora, citando explicitamente a blockchain, o Brasil passa a inovar no comércio exterior. Dessa forma, pode lançar mão de uma tecnologia capaz de agilizar e dar mais transparência aos processos.
Plataforma bConnect pode ser usada
Tudo indica que a plataforma a ser usada pelos órgãos será a bConnect. Trata-se de uma solução desenvolvida em 2019 pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).
A bConnect utiliza blockchain para garantir autenticidade de informações compartilhadas entre o Brasil e países parceiros.
Em outubro deste ano, o Serpro foi convidado para apresentar a plataforma nos Estados Unidos. Isso porque o país norte-americano tem planos de usar a solução para combater o terrorismo.
Na ocasião, o Serpro explicou que a bConnect é uma rede blockchain desenvolvida para a RFB.
Além disso, o órgão mencionou, especificamente, a criação de Operadores Econômicos Autorizados (OEA).
São empresas certificadas que podem usufruir de benefícios como a facilitação dos procedimentos aduaneiros.
CNT
Fonasba
Cianam