Juros nos EUA: uma chance de alívio para os emergentes


A previsão média dos analistas é que haja uma alta de juros de 0,25 ponto percentual ainda neste ano nos Estados Unidos

Federal Reserve, banco central americano, anuncia hoje sua decisão sobre os juros, e a expectativa é que a taxa seja mantida no patamar atual, que varia de 2% a 2,25% ao ano. Ao menos até agora, os analistas não revisaram suas previsões para os juros – mas é possível que isso aconteça nos próximos meses, como consequência do resultado das eleições legislativas nos Estados Unidos, no último dia 6.

Na votação, os democratas retomaram o controle da Câmara dos Deputados, enquanto os republicanos consolidaram a maioria que tinham no Senado. Com o novo equilíbrio de forças, é esperado que o presidente Donald Trump tenha mais dificuldade para aprovar projetos – entre eles, os de estímulo fiscal. Menos estímulo significa menor pressão sobre a inflação.

Até as eleições, os analistas apontavam para o risco de a inflação americana subir demais, o que demandaria uma atuação mais dura do Fed. A economia dos Estados Unidos está crescendo, o desemprego é baixíssimo e os salários têm subido (o que pode também ser consequência de restrições à imigração, que reduzem a mão de obra disponível). Soma-se a isso o viés protecionista do governo Trump, que tende a contribuir para elevar os preços internos.

Por tudo isso, havia o temor de que o Fed aumentaria os juros num ritmo maior que o esperado – péssima notícia para os países emergentes. Quando os juros sobem nos Estados Unidos, os investidores tendem a investir mais por lá. Ou seja, sobram menos recursos para outros mercados.

“A eleição neutralizou essa percepção, e a maioria dos analistas voltou a considerar uma alta gradual dos juros como o cenário mais provável”, diz Adeodato Volpi Netto, estrategista-chefe da empresa de pesquisas Eleven Financial Research.

A previsão média dos analistas é que haja uma alta de juros de 0,25 ponto percentual ainda neste ano nos Estados Unidos, na reunião do Fed de dezembro. Para 2019, a expectativa atual é que haja mais dois ou três aumentos – a depender de como ficam as expectativas de inflação e crescimento econômico.

https://exame.abril.com.br/economia/juros-nos-eua-uma-chance-de-alivio-para-os-emergentes/

“DIVULGAÇÃO DE CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO, SEM FINALIDADE ECONÔMICA OU COMERCIAL”.

CNT
Fonasba
Cianam