Dólar fecha em queda, após nova atuação do BC


A moeda norte-americana caiu 0,31%, a R$ 3,7128.

Por G1

O dólar fechou em queda nesta terça-fera (12), após o Banco Central realizar nova intervenção no mercado, levando os investidores a deixarem em segundo plano as expectativas sobre a reunião do Federal Reserve (Fed), banco central dos Estados Unidos, que vai decidir o rumo da taxa de juros norte-americana.

A moeda norte-americana caiu 0,31%, a R$ 3,7128. Na mínima do dia, chegou a R$ 3,6707 e na máxima, a R$ 3,7288. Veja mais cotações. Já o dólar turismo era vendido perto de R$ 3,86, após chegar a R$ 3,88 na máxima do dia, sem o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

“O mercado está cauteloso em função da reunião do Fed e questões internas, mas ele se mantém amortecido com o BC agindo”, afirmou o operador de câmbio da corretora Spinelli José Carlos Amado.

Intervenção do BC

Na semana passada, o BC prometeu injetar US$ 20 bilhões adicionais em novos swaps cambiais -equivalentes à venda futura de dólares – até a próxima sexta-feira para dar liquidez ao mercado e ajudar a conter a volatilidade.

Mais cedo, o BC já havia feito um leilão com o mesmo tamanho, também vendido integralmente, colocando neste mês, até o momento, US$ 16,116 bilhões em novos swaps.

Também vendeu a oferta integral de até 8.800 swaps cambiais tradicionais para rolagem, já somando US$ 3,520 bilhões do total de US$ 8,762 bilhões que vence em julho. Se mantiver esse volume até o final do mês, fará rolagem integral.

Expectativa com Fed

O dólar chegou a subir sobre o real nesta sessão, em sintonia com o exterior, com os investidores cautelosos com o desfecho do encontro de política monetária do Fed após a divulgação dos dados sobre a inflação norte-americana.

“No geral, esses números estão alinhados com as expectativas e, como tal, não devem movimentar muito os mercados hoje ou mudar o debate para os formuladores de políticas antes da reunião do Fed amanhã”, afirmou à Reuters o analista da gestora CIBC Andrew Grantham.

Ele se referia ao índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos de maio divulgado nesta manhã, com alta de 0,2%, dentro do esperado.

O Fed acompanha uma medida de inflação diferente, que está um pouco abaixo da meta de 2%. O BC dos EUA deverá aumentar a taxa de juros pela segunda vez este ano na quarta-feira.

Os analistas agora esperam para saber se haverá sinais de um ou dois aumentos dos juros em seu comunicado.

O mercado monitora pistas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos porque, com taxas mais altas, o país se tornaria mais atraente para investimentos aplicados atualmente em outros mercados, como o Brasil, motivando assim uma tendência de alta do dólar em relação ao real.

https://g1.globo.com/economia/noticia/cotacao-do-dolar-12062018.ghtml

“DIVULGAÇÃO DE CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO, SEM FINALIDADE ECONÔMICA OU COMERCIAL”.

CNT
Fonasba
Cianam